CSI – 10×04: Coup de Grace / CSI: NY – 6×04: Dead Reckoning

CSI

Enquanto os serials killers das temporadas não aparecem, um vilão parece ser inexistente, enquanto o outro está em vários lugares.

Atenção: Spoilers Abaixo

CSI

Começando em estilo Cold Case, Scott Johnson é morto pelo policial Finn na frente de uma lanchonete. Enquanto Finn dizia que seus tiros foram legítimos, as testemunhas argumentavam que seu ato não passava de assassinato.

Para a surpresa de todos, descobre-se que Johnson era um policial. Agora os CSIs devem determinar se houve “Coup de Grace” (tiro de misericórdia), uma vez que Finn foi visto ao lado da vítima caída quando o terceiro tiro foi dado.

Todas as evidências estavam corrobando a história das testemunhas sobre o suposto assassinato: a posição dos cartuchos, o trajeto das balas, o fato de que os dois já haviam trabalhado juntos e que Scott denunciou Finn por discriminação, e a gravação sonora da viatura, revelando o tempo entre os tiros e a voz de Finn insultando Johnson por ser negro. O assassinato é então transformado em um potencial crime racial.

Enquanto a equipe investiga o caso, Sara averigua a morte de um garoto executado. De acordo com o sangue encontrado no local, a pessoa que o matou estava ferida.

Quando Nick percebe um padrão de um número no celular de Scott, ele faz uma ligação, a qual é recebida pelo celular do John Doe de Sara (adoro quando acontece isso). Scott foi até a lanchonete se encontrar com Anthony, e atirou no rapaz que queria matar o garoto.

Após a análise das evidências nas balas, os CSIs percebem que o suposto tiro fatal fora o primeiro a ser dado, a bala que se encontrava em baixo do corpo da vítima havia atravessado sua perna e que o cartucho em que se baseava o assassinato foi movido acidentalmente por uma criança que estava na cena do crime.

Foi comprovado que Finn não matou intencionalmente Scott, mas mesmo assim ele ainda teria que passar por investigações burocráticas, e sua suspensão foi eminente. Depois de acabar se encontrando com o pai de Johnson e ser julgado pelo olhar do mesmo, Finn comete suicídio.

A única coisa que não estava bem explicada era como Finn não reconheceu Johnson, o que foi explicado após a sua autópsia. Ele possuía retinite pigmentar, tornando o diâmetro da sua visão do tamanho de um pequeno canudo.

O assassino de Anthony também foi capturado, completando a seqüência dos tiros. Finn atirou em Scott (pensando que ele era um criminoso), que atirou no garoto que tentava matar Anthony. Enquanto no episódio anterior o vilão foi mostrado logo no início, esse episódio termina sem que saibamos ao certo quem era o malvado da trama.

P.S.: A Tess Mercer de Smallville resolveu dar um pulo em Las Vegas e fazer um bico como policial.

CSI: NY

CSINY

Um homem é morto. Sua esposa confessa o assassinato, pois ela descobre que ele estava tendo um affair. O caso está praticamente resolvido, só há um problema: de acordo com os exames de DNA ela está mentindo.

O DNA de uma mulher misteriosa é encontrado no cabo da faca usada no assassinato e na mordida em um dos pãozinhos servidos. Depois de analisar o conteúdo do estômago de Kevin (em uma autópsia um tanto quanto nojenta), descobre-se o pedaço de pão, deixando a dúvida: se metade do pão está no estômago de Kevin, como a outra metade possui o DNA de outra mulher?

Haylen analisa as fotos da cena do crime e percebe que o jantar nunca foi servido, mesmo assim, o estômago de Kevin estava cheio com a mesma comida.

Para complicar ainda mais o caso, Hawkes descobre que o DNA da mulher misteriosa está presente em outros 21 casos, espalhados em três estados e envolvendo roubo, assalto e homicídio. Stella e Don começam a interrogar moradores do prédio visinho, pois Linsay e Danny encontraram resíduos nas meias e sapatos de Kevin que condiziam com um novo carpete colocado em dois andares daquele prédio. Após muitas portas e homens de cueca, os dois acham a amante de Kevin, ou melhor, sua esposa. Sim, Kevin não acreditava muito em monogamia, e era casado com duas mulheres no mesmo condomínio.

Zoya, no entanto, era apenas uma vítima de traição, uma vez que seu DNA não batia com o da mulher misteriosa.

A equipe teve que trabalhar intensamente para descobrir quais outros componentes forenses se encontravam em mais de uma cena do crime, e Linsay consegue achar outra ligação. Em três cenas, havia um pacote da World Send com vestígios de cocaína dentro. As três entregues pela mesma funcionária: Marcia Vasquez.

Vasquez já estava sendo considerada a assassina fantasma, mas quando Haylen cruza os dados da World Send com os registros do CODIS, há uma anormalidade, sugerindo que Marcia estivesse em dois lugares ao mesmo tempo.

Como nós estamos tratando de CSI e não de Fringe, era impossível que Marcia tivesse matado uma pessoa enquanto fazia uma entrega na casa de outra. Não demora muito para Mac assimilar a situação e pensar em uma solução.

Marcia era responsável pela morte de três traficantes e, quanto aos outros 18 casos, os cotonetes usados na investigação haviam sido contaminados. A empresa White Tip Cotton fechou um contrato para fornecer cotonetes de colheita de provas para várias jurisdições, e uma funcionária não usava luvas, passando seu DNA para o algodão, que acabou nas cenas dos crimes.

Um homem casado com duas esposas, uma mulher que matava traficantes por dinheiro, e uma funcionária negligente. Três casos separados que deram uma boa dor de cabeça para os detetives de NY. Uma trama muito bem pensada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: