CSI: NY – 6×03: Lat 40º 47’N/Long 73º 58’ W / CSI – 10×03: Working Stiffs

csiny

Com flashbacks e uma estrutura diferenciada, ambos CSIs iniciam da mesma maneira: com o assassino revelado.

Atenção: Spoilers Abaixo

CSI: NY

O episódio começa como qualquer outro; com a possível vítima. Tudo leva a crer que a problemática personagem de Skeet Ulrich (Jericho) está prestes a cometer suicídio, mas quando a pessoa encontrada enforcada não se parece nada com o ex-Jake Green, um suicídio vira homicídio, e a identidade do culpado fica clara.

Dario Gonzales era um porteiro, e foi encontrado com um falso bilhete de suicídio, dizendo que não deveria ter tentado conseguir dinheiro rápido. A equipe de Mac Taylor descarta a possibilidade de suicídio quando a esposa de Dario diz que falou com ele naquela mesma manhã, mas a lividez do corpo sugeria que ele estaria morto há muito mais tempo. A partir de então, temos uma mistura de flashes focados em Skeet e a investigação dos detetives de NY.

Enquanto os CSIs de Las Vegas possuem seu Dr. Jeckyll como provável assassino da temporada, os detetives da Big Apple acabam de conhecer o seu: O assassino da bússola.

Dario foi encontrado no Sul de NY, com uma bússola em seu bolso apontando para a mesma direção. Mac recebe outra bússola por correio, dessa vez apontando para o norte. Após analisar evidências dessa nova bússola, a equipe encontra a segunda vítima do assassino: Carole Hillcroft, membro da associação de jardinagem. Ela foi encontrada morta do mesmo jeito de Dario, estrangulada, enforcada e com um bilhete.

O interessante do nosso novo assassino é que, os flashes parecem ser do passado, mas de fato são do presente. E não é só a impressão dos flashes que nos levam 50 anos atrás, mas também vestígios de grama sintética achada na corda ao redor do pescoço de Dario, de 1963, a logomarca de uma empresa achada no papel do bilhete, de 1964, a estação de rádio com que Skeet acorda, de 1964 e até o visual da mulher que aparece com ele (a qual até poderia ser uma ilusão do homem).

O assassino da bússola parece ser uma personagem interessante. Ele provavelmente está cometendo tais crimes como uma forma de vingança; uma forma própria de justiça aos culpados pela morte de alguém próximo dele. Os flashes sempre mostram o retrato de uma criança, talvez seu filho?

Ao decorrer do caso, Danny continua a luta contra sua condição, tentando voltar a andar para poder correr no parque com sua filha. Don ainda está apegado a Jess, e aparentemente irá demorar certo tempo para ele se recuperar. E Haylen Becall consegue se juntar a equipe, o que deixa Adam desconfortável.

Terminando com uma bússola sem apontar para um lugar específico, fica a promessa de um ótimo inimigo para os próximos episódios.

CSI

csi

Assim como em CSI: NY, a trama do episódio se desenvolve diferentemente, uma vez que a identidade do assassino é revelada antes da abertura da série.

Embora o telespectador já saiba quem é o culpado, os CSIs da cidade do pecado ainda precisam seguir as evidências para fechar o caso.

Novamente na mistura de flashbacks com a história de Paulie (assassino) e Jason (vítima) e o presente dos CSIs e de Paulie, vemos que Jason descobriu sobre um plano de Paulie para se vingar da sua empresa e de todos que trabalhavam lá. Catherine e equipe chegam a pensar que eles estariam tramando um ato terrorista, devido a vestígios de explosivos achados. No entanto, ao analisar pedaços de metais achados na cena do crime e guiado pela experiência de Catherine, Langston chega à conclusão que o ato não tem a ver com terrorismo, mas o roubo de um cofre.

Ao som de “Under Pressure”, o episódio termina com Paulie explodindo o cofre da empresa. A cena em que Paulie consegue roubar algum dinheiro e fugir da polícia não passa de uma ilusão de um homem à beira da morte, esmagado pela porta do cofre.

Até que foi um bom episódio, mas a medida de longo prazo, só serviu para mostrar mais um pouco da história de Langston. Ele analisa o resultado da amostra de sangue de seu pai (que ele colheu da medalha) e percebe uma disfunção de uma enzima chamada “Monoamine Oxidase A”, que pode ser responsável por comportamentos violentos. Ray fica claramente incomodado por isso, principalmente porque ele admitiu ter paviu curto. Terá Ray medo de virar um homem violento como seu pai?

PS.: Quem viu o Newman de Seinfeld fazendo papel de chefe inconveniente?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: