Os Títulos das Séries

08/11/2010

Uma série brilhante é um conjunto de vários fatores: roteiro, elenco, produção, direção, etc. Cada detalhe enriquece o programa, e nada diz “Nós cuidamos de todos os aspectos desse seriado” como uma relação de títulos bem colocados.

Eles podem seguir um padrão gramatical, como os de Friends (The One with the Blackout, The One with the Giant Poking Device, The One with the Girl from Poughkeepsie) ou The Big Bang Theory (The Pancake Batter Anomaly, The Killer Robot Instability, The Wheaton Recurrence); podem ser títulos de músicas, como em Grey’s Anatomy (Raindrops Keep Falling On My Head, Grandma Got Run Over By a Reindeer, I Like You So Much Better When You’re Naked); ou podem ser títulos de filmes/séries/cultura pop modificados, como Charmed (The Truth is Out There… and It Hurts, Womb Raider, Kill Billie Vol. 1) ou Veronica Mars (Mars vs Mars, Rashard and Wallace Go to White Castle, President Evil).

Alguns nem sempre seguem padrões, mas a preocupação com o título se torna evidente com o seu significado. Pode ser algo simples, como “33” de Battlestar Galactica (que denota a quantidade de minutos que a tripulação podia ficar em um lugar antes que naves cylons atacassem); ou também pode ser algo mais plural, como “42” de Doctor Who (o qual é um episódio que se passa em “tempo real”, parecido com um episódio de 24 Horas. Também faz uma referência ao Guia do Mochileiro das Galáxias, em que 42 é a “resposta” chave da história. Uma curiosidade é que Douglas Adams (autor dos livros) foi roteirista na época das series originais de Doctor Who).

Para terminar o artigo, deixo cinco dos meus títulos favoritos:

“Nothing Important Happened Today” – Arquivo X

“A Priest, a Doctor and a Medium Walk into an Execution Chamber” – Medium

“Jack, Meet Ethan. Ethan? Jack.” – Lost (mobisode)

“Nothing Good Happens After 2 AM” – How I Met Your Mother

“Do Shapeshifters Dream of Electric Sheep?” – Fringe

 

Qual o seu título preferido?


A Premiere de Medium e a Saída de Stella de CSI:NY

29/07/2010

Conforme setembro se aproxima, mais notícias são divulgadas sobre o início da Fall Season. De acordo com o colunista  Michael Ausiello, Medium continuará com suas tramas criativas e referências a filmes, enquanto a personagem Stella terá uma saída nobre de CSI:NY.

As histórias de Medium sempre foram interessantes, tratando do tema principal de várias maneiras diferentes. As habilidades de Allison Dubois tendem a colocá-la em situações inesperadas e divertidas, seja vendo todas as pessoas com o rosto de um mesmo homem, usando um óculos de sol que revela quantos dias a pessoa tem de vida ou sendo transportada para dentro de um filme de George A. Romero. O início da sétima temporada não dará descanso para sua família, a qual já está acostumada com coisas estranhas acontecendo diariamente. No melhor estilo Freaky Friday (Sexta-Feira Muito Louca), Allison irá trocar de corpo com a sua filha de 13 anos, Bridgette. Com certeza podemos esperar ótimas atuações tanto de Patricia Arquette como de Maria Lark.

Depois de seis anos, Melina Kanakaredes irá deixar o elenco de CSI:NY. A atriz não aparecerá na nova temporada da série, mas os produtores dizem que sua personagem terá um final digno. No lugar de matar Stella ou fazer algo do gênero, os produtores resolveram mandá-la para New Orleans, onde ela será o “Mac” do lugar. O produtor executivo Zachary Reiter diz que de maneira contrária, a saída da perita pesaria muito na história dos outros personagens. A showrunner Pam Veasey ainda afirma que Stella aceita comandar aquele laboratório por New Orleans ser a cidade do furacão Katrina, a cidade da derrama de óleo, onde as pessoas estão procurando por ajuda. Quem irá substituir Kanakaredes será Sela Ward, conhecida como a ex-esposa do Dr. House. Será que ela conseguirá preencher a lacuna?