Midseason Premieres 2010: Rookie Blue

01/07/2010

Não gosto quando novas séries são vendidas como uma versão de programas já consagrados, estilo o “novo Lost“, mas admito que a descrição “Grey’s Anatomy policial” foi bem colocada aqui. Claro, não temos a genialidade de Shonda Rhimes nos diálogos ou na construção das personagens, porém Rookie Blue possui um clima Seattle Grace que merece ser visto.

A trama gira em torno de cinco policiais que acabaram de sair da Academia, e que agora devem se ajustar às regras práticas da profissão. Nesse episódio piloto, três dos novatos conhecem seus parceiros e partem para uma cena do crime enquanto dois ficam na delegacia fazendo trabalho burocrático. A protagonista Andy McNally (Missy Peregrym, de Heroes e Reaper) tem um primeiro dia agitado, estragando uma operação policial, corrigindo seu erro, passando por uma situação tensa e atraindo os olhares de dois companheiros de trabalho (triângulo amoroso já!).

A série também lembra a parte policial de Third Watch, principalmente os segmentos das personagens Ty/Sully nas primeiras temporadas. Se Rookie Blue conseguir manter suas referências, mas criando uma identidade própria, é possível que seja consideravelmente bem sucedida na midseason.


Midseason Premieres 2010: Persons Unknown

11/06/2010

Nada como um suspense para passar o tempo. Fui assistir Persons Unknown sem nenhuma expectativa, e talvez por isso tenha me surpreendido com a série estilo Jogos Mortais-Identidade-Caçadores de Mentes.

Spoiler Alert!

A história é sobre sete personagens que acordam em uma cidade fantasma sem saber como chegaram lá. O grupo é formado por diferentes tipos de pessoas; como um soldado, um vendedor de carros, uma mãe solteira e uma party girl. No final do episódio, outros indivíduos são introduzidos na trama com obrigações específicas (os cozinheiros de comida chinesa e o gerente noturno do hotel), também sem saber como chegaram no local. Há câmeras espalhadas por toda a cidade, “observando” tudo que acontece.  Em uma trama paralela, está um jornalista que se interessou pelo desaparecimento de Janet, e começou a investigar o caso.

Nesse episódio piloto, os envolvidos começaram a se conhecer, e descobriram que não podem sair do perímetro da cidade em função de um implante biométrico medicinal. Além de tentar sair do lugar, todos lidam com a dúvida de que um deles pode estar trabalhando para aqueles que os raptaram. Os “jogos” começam nos segundos finais da trama, quando Janet revela ao telespectador o que seu biscoito da sorte realmente dizia: “Mate seu vizinho e você estará livre”.

Em um época com poucas séries, Persons Unknown é definitivamente uma opção válida. Com certeza vou continuar acompanhando, e já tenho algumas teorias:

– Dada a natureza “Big Brother” da cidade, suponho que estejamos lidando com algum tipo de experimento psicológico.

– Foram citados os “cleaners” e uma organização possivelmente oposta a eles. No entanto, não acho que eles estejam envolvidos com os raptos.

– Há também a mãe de Janet, que está tomando conta de sua neta e sendo observada através de uma câmera. Ou ela é mais uma vítima, como o pessoal da cidade, ou ela é uma das autoridades por trás dos raptos.

– Quanto ao Joe (Bosco de Third Watch), ainda não sei se ele é confiável. Ele pode se tornar o grande herói da história, ou o grande vilão.

E vocês? Vão assistir a série? Já têm alguma teoria?


Midseason Premieres 2010: Pretty Little Liars

10/06/2010

Spoiler Alert!

Possuo a habilidade de conseguir assistir coisas ruins, mas esse piloto foi além dos meus poderes. Logo nos primeiros dois minutos, eu queria desligar e jogar o arquivo fora. No entanto, se eu tivesse feito isso, não poderia dizer com toda certeza que Pretty Little Liars é ruim!

Muita gente vai abandonar a série antes da abertura, simplesmente porque o desaparecimento de Alison é ridículo; tanto a situação quanto as atuações. O roteiro (previsível) segue ambientando o telespectador com as histórias das quatro personagens principais um ano depois do acontecido: a garota que volta para a cidade e, por acidente, acaba se envolvendo com seu professor de inglês (numa trama muito Meredith/Derek primeira temporada); a patricinha que rouba produtos de lojas para lidar com seus daddy issues (sua mãe é Laura Leighton – Sydney de Melrose Place 2009); a toda certinha que está de olho no namorado da sua irmã; e a atleta que faz ‘amizade’ com a nova moradora da casa de Alison.

Durante o episódio, as garotas recebem mensagens de uma “A”, revelando segredos pessoais de cada uma. Elas ficam chocadas quando Alison é supostamente achada morta na sua antiga casa. A história fica um pouco mais interessante no final, mas não acho que compense pelas personagens que não condizem com suas idades, o suspense mal colocado e a grande pergunta: Por que ser amigas de Alison se ela era such a bitch?

Para não dizer que o seriado é de todo o ruim, vale ressaltar que a trilha sonora é boa e a abertura interessante. Tendo isso dito, acho que a Holly Marie Combs (Charmed) poderia ter arranjado um papel melhor em uma série melhor para o seu retorno.