Segundas de Amendoim

17/04/2010

Spoiler Alert!

The Big Bang Theory – 3×19: The Wheaton Recurrence

Yoda é tão poderoso que pode causar o rompimento de uma relação, mesmo que indiretamente. A citação do pequeno mestre jedi verde foi o suficiente para Leonard soltar um “I love you” e Penny ter um sério acesso de tique nervoso.
Enquanto o sensível Leonard fica ofendido por Penny amar batatas fritas (quem não ama?) e canta Alanis Morissette (vou pensar duas vezes antes de cantar no carro novamente), os outros amigos discutem o importante fato da possibilidade de formigas gigantes existirem e se preparam para a partida de boliche contra o todo poderoso Wil Wheaton.
Wil pode ser o Duende Verde do Homem-Aranha de Sheldon, mas pra mim ele está mais próximo do plano de fundo do meu Mac. Não tem como não gostar de quem irrite o Sheldon e poste essa foto no twitter. Eu totalmente usaria uma camiseta “Wesley Crushers”, com o significado positivo, claro.
Ao final do episódio, Penny e Leonard provavelmente se separaram, Sheldon nutre seu ódio por Wheaton e todos aprendemos uma valiosa lição: Seja a bola! (vou arrasar na próxima vez que jogar boliche). Sem contar o rápido, porém prazeroso momento com as super heroínas.

Anúncios

Segundas de Amendoim

24/03/2010

Spoiler Alert!

The Big Bang Theory – 3×18: The Pants Alternative

O episódio começa com Raj comentando sua reflexão sobre James Cameron e Sheldon fazendo uma ótima pergunta (Por que William Shatner não apareceu no último filme de Star Trek? Nem que fosse atuando rapidamente outro personagem). Sheldon então fica sabendo que é o ganhador do Prêmio Chanceler da Ciência do ano, e seu grande ego fica ainda maior. Apenas um mero problema: ele precisa fazer um discurso, e tem medo de palco.
É assim que surgem os X-Men C-Men, equipe formada por Fashion Penny, capaz de aumentar a confiança de qualquer um comprando roupas; Psy-Leonard, que resolve traumas através da psicanálise; Guru Raj, que acalma os indivíduos com sua meditação e o fabuloso Fake Howard, com o poder de fingir se importar com as crises non-sense de Sheldon. Raj e Leonard não contribuíram para a melhora de seu amigo, uma vez que Godzilla invadiu Sheldonópolis e Leonard acabou envolvido com seu próprio trauma de infância (não são esses os melhores?). Penny não só conseguiu deixá-lo bonitão, mas também lhe colocou sob a influência de álcool. No lugar de desmaiar, Sheldon ficou solto, contando piadas (eu entendi quase todas! Não é sempre que entendo seu senso de húmor físico…) e aumentando o vasto, cultural e divertido conteúdo do You Tube.
Entre minhas considerações finais, devo dizer que eu nunca negaria um Slurpee (sim, a bebida que é jogada nos losers de Glee) com óculos 3D de graça, que fico triste por Curitiba não ter concurso da Corte Real do Milho, que física no ensino médio seria bem mais fácil com a música do Sheldon e que eu ainda estou esperando a discussão que Leonard e Penny teriam de acordo com Johnny Galecki.


Segundas de Amendoim

16/03/2010

Spoiler Alert!

The Big Bang Theory – 3×16: The Excelsior Acquisition/ 3×17: The Precious Fragmentation

The Excelsior Acquisition é um episódio glorioso para nós, os geeks. Não apenas temos o supremo Stanley Stan Lee como convidado especial, mas também somos apresentados a uma revolucionária nova forma de comunicação: a camiseta musical do Raj (sério, o mundo seria um lugar melhor se todos tivessem essa camiseta e pudessem exprimir aqueles sentimentos que não podem ser colocados em palavras – como o “doink doink” de Law & Order: SVU (love!)).
Nossos “Stan-fans” estão se preparando para o encontro com o rei. Enquanto Sheldon decide qual HQ terá assinada (baseando-se em um pensamento mais uma vez beirando o irracional, porém com certo teor consistente e interessante), Wolowitz se corta com um de papel (sim Howard, existe algo pior (e mais absurdo) que corte com folha de papel; corte com papel de presente…). Após descobrir que foi intimado, Dr. Cooper tem que tomar um rumo diferente de seus companheiros paladinos. A lei, infelizmente, fala mais alto que a Marvel e, “por fazer a mesma porcaria que ele sempre faz, mas com um juiz”, Sheldon foi encarcerado. Enquanto isso, na sala de perigo, Raj, Howard e Leonard tomam sorvete com Stan.
Sentindo-se culpada pelo “dedo que se move”, Penny consegue o endereço da casa de Stan e leva Sheldon até lá. Ela sempre dá bons presentes para o rapaz, seja um guardanapo com o DNA de Leonard Nimoy ou uma oportunidade de conseguir uma ordem de restrição. Porque não há jeito melhor de conhecer celebridades do que cometer leves crimes contra elas (de que outro jeito Lucille Gatchell iria conhecer Sandra Bullock?).

Já em The Precious Fragmentation, o mundo dos quadrinhos é deixado de lado para dar lugar ao universo de  J. R. R. Tolkien. Batman os guiou até uma caixa encantada, na qual os hobbits encontrariam algo que mudaria suas vidas: um anel original do filme “Senhor dos Anéis” (e um boneco do Alf).
Não demorou muito para a discórdia atingir os personagens, e uma longa disputa pelo anel (e, consequentemente, um jet ski) seria travada. Penny foi designada como guardiã temporária do anel, e ela estava disposta a fazer qualquer coisa para protegê-lo (mesmo com os esforços de Smeagol Sheldon). No entanto, o perigo que a cercava era muito grande, e o objeto fora devolvido a Leonard (e eventualmente roubado por Sheldon no banheiro). Só havia uma solução para o problema; promover um árduo teste, no qual o último a continuar segurando o anel seria o campeão.
Alianças foram formadas, famílias foram verbalmente atacadas, e ao final de uma exaustiva batalha, o vencedor foi…ninguém. Leonard, muito esperto, se apoderou do objeto que estava ao chão. Porém, Sheldon não o deixaria em paz; ele não descansaria até ter novamente o precioso em suas mãos.


Segundas de Amendoim

11/02/2010

Atenção: Spoilers Abaixo

House – 6×13: 5 to 9

Adoro quando são feitos episódios mostrando um segundo ponto de vista da trama original. Não pensei que apenas a rotina de Cuddy poderia preencher os quarenta e poucos minutos do episódio sem ficar cansativo, mas seu ritmo frenético torna isso possível (me lembrou o piloto de ER). O divertido foi vê-la tendo que lidar com vários assuntos, entre eles uma farmacêutica ladra sociopata e uma ambiciosa companhia de seguro, e ainda tendo as normais interrupções de House e sua equipe. E por falar em House, ele pode ser o motivo de muitos problemas na vida hospitalar de Cuddy, mas também oferece conforto – de um jeito um tanto estranho. Que Lisa iria perder o emprego ninguém acreditou, mas fiquei tensa durante toda a negociação com a Atlanticnet. É aquela coisa, você sabe o que vai acontecer, mas continua preocupado. Depois de ser chamada de bitch várias vezes, andar por todo o hospital, se preocupar com a filha, armar para a sociopata e conseguir seus 12%, Cuddy tem mais que gritar. Ótimo episódio.

The Big Bang Theory – 3×15: The Large Hadron Collision

No campo esquerdo, com um PhD e um QI de 187, Sheeeeldon Cooooper. No campo direito, vinda de Nebraska e atualmente trabalhando no Cheesecake Factory, Peeeenny. Façam suas apostas senhoras e senhores, pois o prêmio para essa disputa é uma viajem à Suiça. Nunca vimos Sheldon suplicar tanto para obter alguma coisas – desde o uso argumentos lógicos e racionais até uma tentativa de mostrar afeto, com suco, café e panquecas no formato de Frodo. Infelizmente para Sheldon, ele estava combatendo um inimigo invencível, e sem se importar com qualquer contrato ou apresentação de power point, Leonard estava decidido a levar Penny para esquiar no Valentine’s Day. Nesse episódio descobrimos mais um fato sobre a garota: ela não lê Dan Brown. Qualquer um que já tenha lido (ou assistido) Anjos e Demônios saberia o que é o CERN. Até eu ficaria curiosa para conhecer o acelerador de partículas…e para esquiar também. No entanto, a natureza é cruel (ou sábia) e ambos ficaram doentes demais para fazer a viajem. Ruim para Penny, Sheldon e Leonard. Bom para Koothrappali. FYI, eu definitivamente consideraria Rupert Murdoch o traidor número 1. Firefly era tão legal…

How I Met Your Mother – 5×15: Rabbit or Duck

O Valentine’s Day continua em HIMYM, assim como o Super Bowl. Achei criativa a nova maneira de Barney se auto-promover (CBS), mas isso criou um mal que ninguém poderia ter previsto. Um mal capaz de atravessar o tempo e destruir vidas. Um mal que deveria ser destruído. Nossos heróis foram Lily e Marshall que, sem pensar duas vezes, destruíram o anel celular. Só faltou o Barney falar “My precious”. Quanto ao debate do coelho ou pato, fico do lado de Marshall. Coelhos são fofinhos e patos mordem sua mão (memórias do passado), então o coelho deveria ser o bom. Se eu estivesse no MacLaren’s, Marshall teria ganhado a discussão. Ted resolveu dar um salto de fé e ter um casamento arranjado, o que obviamente não funcionou (se não fosse o celular teria dado certo). Robin ficou um pouco menos chata, mas ainda dá pra melhorar bastante. E o legado das técnicas do Barney continuam internet a fora.


Segundas de Amendoim

05/02/2010

Atenção: Spoilers Abaixo

The Big Bang Theory 3×14: The Einstein Approximation

O que acontece quando aquele que possui respostas para tudo se depara com uma questão aparentemente sem solução?  Simples, ele enlouquece. Sheldon tenta de tudo para conseguir sua resposta; desde ver seu trabalho como uma imagem periférica transitória até trabalhar no Cheesecake Factory, passando por uma visualização dos átomos de carbono dentro de uma piscina de bolinhas. Nesse episódio, Sheldon chegou a um novo nível de bizarro– ótimo para quem estava assistindo, mas suponho que Penny e Leonard não tenham se divertido muito. Fiquei meio desapontada porque achei que teríamos mais cenas envolvendo Penny e Sheldon no Cheesecake Factory, mas as poucas que apareceram foram boas. Leonard, Howard e Rajesh podem dançar o quanto quiserem sobre patins, mas esse episódio pertenceu ao grande Sheldon. E fica o pensamento do dia: quero uma piscina de bolinhas…Bazinga!

House – 6×12: Moving the Chains

Primeiro tivemos uma paciente psicopata, agora vimos um gigante – em todos os sentidos (sério, fiquei com medo). Enquanto a equipe tentava descobrir o que tinha de errado com o jogador de futebol americano, Foreman teve que lidar com seu irmão recém saído da prisão, e empregado por House. Essa trama ficou como o fator emocional do episódio, o que seria uma ótima idéia, se Eric não fosse tão chato. Adoro quando as ações de House se revelam benéficas, mas quando isso acontece com Eric, quando ele entra em contato com o lado sentimental, pra mim não funciona. O diagnóstico do caso resultou em câncer de pele, o que foi razoavelmente legal. Mas acho que o melhor da história ficou com as brincadeiras feitas a Wilson e Greg. Wilson achou um gambá na banheira, House caiu na banheira, e ambos perderam a televisão. Quem estava aprontando com os companheiros de quarto era Lucas, que ainda se sente ameaçado pelo sarcástico médico. E na minha opinião, realmente deveria.

How I Met Your Mother – 5×14: The Perfect Week

Não tive cãimbras na bochecha de tanto dar risada nesse episódio, mas foi engraçadinho. Eu adoro o casal Lilly/Marshall, mesmo nas suas esquizitices. Mas tenho que admitir que eles se superaram quanto a escova de dente (que aliás, foi extendida para Robin e Ted…). Barney, que mal apareceu no episódio passado, resolveu lidar com sua situação “quase demitido” tentando fechar o jogo perfeito, a semana perfeita. Embora essa tenha sido a trama principal do episódio, não achei grande coisa. Apenas Barney agindo como Barney – e conseguindo completar sua missão com a ajuda de seus amigos. Agora, o que realmente me deixa triste é a personagem de Cobie Smulders. Durante todas as temporadas, Robin foi minha favorita. Mas atualmente ela está meio desaparecia e, me atrevo a dizer, um pouco chatinha. Não, não tive cãimbras na bochecha de tanto dar risada, mas aprendi a checar se aquele nome aparentemente falso realmente é falso antes de fazer piadas sobre ele. Tadinha da japinha…


Segundas de Amendoim

29/01/2010

Atenção: Spoilers Abaixo

House – 6×11: Remorse

House voltou muito bem da sua pausa, com um intrigante caso de uma paciente psicopata. O episódio foi focado na Thirteen, que notou desde o cérebro anormal da paciente até a mudança de comportamento na adolescência, resolvendo o caso que envolvia a má absorção de cobre pelo seu organismo. As cenas envolvendo House com a psicopata foram muito boas, mas as melhores envolviam a Thirteen. A paciente pode nao ter sido violenta fisicamente, mas definitivamente atacou a Dra. Hadley. A trama secundária não foi tão boa quanto a principal, mostrando um House mais sentimental. Embora o segmento do colega de classe tenha tido alguns momentos bons, a história de House não conseguir se comunicar com Cuddy e ficar triste por causa do Lucas já está começando a ficar cansativa.

Castle – 2×14: The Third Man

A melhor característica de Castle é que a série consegue misturar o caso da semana com a vida pessoal dos personagens de uma maneira perfeita. A investigação foi ótima, pulando de um simples homicídio para um duplo homicídio junto com contrabando de diamantes por meio de cobras. O fato de que os suspeitos estivessem atrás da loja de animais exóticos e não do banco foi bem colocada. Enquanto isso, tanto Castle quanto Beckett tentam provar que podem sair com outras pessoas e se divertir. Mas, no lugar de ter conversas superficiais e comer pequenas porções de comida, ambos tem uma epifania que acaba por resolver o caso. Não adianta, eles pensam de maneira similar; um completando o outro. Eu já gosto dos dois e, quem prefere ir a uma lanchonete comer um grande sanduíche do que ir a um famoso restaurante, sempre ganha minha simpatia. Fica também  de ponto positivo para o episódio a referência à história da “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” e o gritinho que Castle solta quando acha o segundo corpo.