What? Starbuck como a mãe de Amy Pond?

23/09/2012

Como um crossover bizarro entre Battlestar Galactica e Doctor Who, a atriz Katee Sackhoff está confirmada no horror Oculus, no qual Karen Gillan é a protagonista . O filme começa 10 anos após um incidente que deixou duas crianças órfãs. Embora o irmão tenha sido preso pelo crime, a personagem de Gillan, Kaylie, está convencida que o verdadeiro culpado é um antigo espelho assombrado. Sackhoff ficou com o papel de Marie, a mãe de Kaylie que aparecerá em flashbacks.

Oculus será dirigido por Mike Flanagan e deverá começar a ser gravado no mês que vêm. Estou animada com a perspectiva de ver as duas juntas num filme de suspence/horror, mas fico com medo disso virar algo no estilo de Luzes do Além (aka o encontro fantástico entre Katee Sackhoff e Nathan Fillion. Só que não).

Anúncios

Obra de Frank Miller Vira Animação

01/06/2011

Katee Sackhoff (Battlestar Galactica), Eliza Dushku (Dollhouse), Bryan Cranston (Breaking Bad) e Ben McKenzie (The O.C.) estão juntos em um dos projetos mais esperados pelos fãs de graphic novels: a adaptação de Batman: Ano Um, de Frank Miller (Sin City). A história, publicada em quatro edições, irá virar uma animação, com a premiere no evento Comic-Con em Julho. Quando a editora americana DC revisou seus super heróis para atualizá-los, Miller ficou encarregado de reescrever a origem do Batman. Como era de se esperar, o personagem ficou mais sombrio, voltado para um público maduro. A trama se ambienta em Gotham City, onde a relação entre os policiais e chefes do submundo entram em evidência, como nos filmes Batman Begins e O Cavaleiro das Trevas. Cranston será o comissário Gordon, que possui grande importância ao lado do protagonista. Sackhoff dará voz à Detetive Sarah Essen, parceira de Gordon, com a qual ele começa um relacionamento. Dushku ficou com o papel de Selina Kyle (AKA Mulher-Gato), que no mundo reimaginado de Miller, é uma prostituta seguindo os passos de Bruce Wayne. O produtor executivo, Bruce Timm, promete uma adaptação fiel aos quadrinhos. Ele afirma que o material em si já é bastante cinematográfico, e que 80% das posições de câmera se referem aos desenhos da obra original.


Katee Sackhoff volta a TBBT – George Takei de Bônus

29/09/2010

Todos os fãs de Battlestar Galactica ficaram emocionados quando Katee Sackhoff apareceu na banheira de Wolowitz na terceira temporada de TBBT (e quando eu digo emocionados, quero dizer que todos abriram um sorriso de cheshire e gritaram Frak Yeah!). A aparição de Katee foi muito bem recebida pelo público, dando confiança a atriz que se recusava a fazer comédia.

Nesta quarta temporada, ela voltará. Diferente de sua última participação, Sackhoff estará realmente caracterizada com o uniforme de combate colonial. No episódio, Howard encontrará sua ex-namorada Bernadette no Cheesecacke Factory e, em uma crise de consciência, Starbuck aparece novamente para expor sua opinião quanto a vida amorosa do geek. E se a composição Starbuck/Howard/Bernadette já não fosse estranha o suficiente, quem também aparecerá no Imaginarium de Howard Wolowitz é o ex-Star Trek George Takei! Double Rainbow para qualquer fã sci-fi!


BSG: O que aconteceu com a Starbuck?

24/07/2010

Durante a 4ª temporada de Battlestar Galactica, a personagem Starbuck fez certas descobertas e passou por algumas transformações que a levaram a um final ambíguo, que até hoje é tema de várias discussões. Na mesa redonda de Caprica na Comic-Con, o pessoal do site io9 conseguiu sentar ao lado do roteirista e produtor da série, Ron Moore, e fazer a pergunta que ficou:

Spoiler Alert!

Afinal de contas, o que era a Starbuck no final de BSG? Pois eis a resposta de Moore:

“Ela é o que você quiser pensar dela. Isso foi deixado nebuloso e vago deliberadamente. Eu acho que ela era a representação de uma entidade que não gostava de ser chamada de Deus, mas todos falaram sobre o assunto em termos de deuses. Se você quiser chama-lá de anjo, você poderia dizer isso. Ela passou por uma história de ressurreição parecida com a de Cristo. E você sabe, quais são as implicações disso? Eu senti que, chegando ao final da série, quanto mais eu definia exatamente o que ela era, menos interessante ela ficava. Então eu decidi tomar um caminho mais ambíguo, e deixar as pessoas discutirem sobre isso perpetualmente.”

Bom, resultado atingido Ron. E você, leitor? O que achou do final que Starbuck levou?