As Séries e seus Atiradores

17/05/2010

Nada mais angustiante que ter suas personagens favoritas presas em um local com um atirador sem piedade. Essa fórmula rendeu ótimos episódios para séries como ER, Cold Case, House, CSI: NY e Alias. Para o final de temporada de Grey’s Anatomy, Shonda Rhimes resolve usar tal técnica que, embora não tão original, (quase) sempre funciona.

Que tal se preparar para Grey’s com momentos em que o futuro de médicos e policiais é colocado nas mãos de homens armados?

Pode conter spoilers

ER – 12×22: 21 Guns

O ER já havia lidado com pacientes armados, mas nada como isso. A vida de todos é colocada em risco quando prisioneiros tentam fugir do hospital, resultando em um dos melhores finais de temporada já produzidos. Uma personagem é atingida, uma sequestrada e uma necessita de um procedimento de emergência.
Para assistir parte da cena do tiroteiro, clique AQUI

Cold Case – 4×24: Stalker

Ao investigar um caso em que uma família inteira foi assassinada, a equipe é surpreendida e tomada como refém no departamento. Lilly é colocada em um situação delicada na tentativa de salvar os outros membros envolvidos.
Para assistir o promo do episódio clique AQUI

Alias – 1×12/13: The Box

As missões de Sydney Bristow sempre foram cheias de ação, mas suas habilidades realmente são testadas quando um grupo invade a SD-6 em busca de Sloane por vingança. Sydney precisa desviar de balas enquanto trabalha com seu pai para evitar um final trágico. O episódio por si já é ótimo, e só melhora por ter Quentin Tarantino como o vilão-mor da trama.

House – 5×09: Last Resort

Na segunda temporada, House ficou de frente com um homem armado; e o resultado não foi muito bom. Três anos depois, ele encara novamente um paciente frustrado e tenta lidar com a situação da melhor maneira possível (na perspectiva House, claro). Dessa vez não é apenas sua vida que é ameaçada, mas também de outros pacientes e a de Thirteen.
Para assistir o promo do episódio, clique AQUI

CSI: NY – 3×24: Snow Day

Mac e Stella resolvem semanalmente situações de reféns, mas agora eles devem resolver a sua própria quando a sede é invadida. Embora o prédio esteja cercado por policiais, cabe a eles se unirem com Hawkes e evitar que os invasores completem seu objetivo.
Para assistir o promo do episódio, clique AQUI

Grey’s Anatomy – 6×23: Sanctuary/ 6×24: Death and All His Friends

[Mini-Spoiler]O promo do episódio já foi divulgado e, aparentemente, vai seguir o exemplo de seus similares finalizando em um tenso final de temporada. Resta esperar até quinta-feira (20 de maio, nos EUA) e descobrir quais serão as consequências do ataque.
Para ler a sinopse dos episódios, clique AQUI. Para o promo AQUI. Para os 10 primeiros minutos do episódio, AQUI


Quintas de Baunilha

30/03/2010

Spoiler Alert!

Grey’s Anatomy – 6×18: Suicide is Painless

Owen Hunt: adorável danificado. Aparentemente, seus dias de ver hélices de helicóptero no ventilador do teto estão de volta. Tudo piora quando Teddy pede para ele co-assinar um suicídio medicamente assistido (a paciente sendo Sara Gilbert – Leslie Winkle de The Big Bang Theory). Para aqueles que sentem saudades de Lost das primeiras temporadas, eis seu episódio; flashbacks fora da ilha do hospital. Na trama paralela, Owen e Teddy estão no Iraque. Quando uma tempestade de areia se aproxima, eles precisam deslocar os pacientes. Teddy vai de helicóptero e Owen por terra. Infelizmente, a viatura passa por cima de uma mina, e o estrago é feito (achei a explosão meio mal feitinha, vocês não?): o motorista e o paciente morrem e seu chefe está em estado crítico. Hunt fica todo nervoso andando pelo hospital, e pede a repetição de um exame na paciente Kim. Ele nao quer “matar” Kim como “matou” seu superior (psicologia básica: projeção). Altman não fica nada feliz com Owen se metendo com a sua paciente, e vai toda “What the hell is your problem?” para cima dele. Como um bom homem, ele sai sem dizer uma palavra (apenas analisando o episódio sob sua perspectiva, nada pessoal guys). De certa forma, Hunt aceita a morte de Kim, e passa sábias palavras para o marido da paciente (considerando que em TBBT o máximo que Sara consegue é um Leonard,  ela se deu muito bem em Grey’s).

Adorava quando Sloane estava com Lexie, mas começo a preferir o casal Maddy, que acabou de ficar físico, assim por dizer. Também adoro a interação Mark-Callie, com seus conselhos e suporte. Torres estava no dilema de contar ou não à Arizona que gostaria de ter um bebê. Seu caso com os três homens viciados em adrenalina (que na verdade só queriam degustar vinhos em Napa) lhe deu coragem para falar com ela, mas o resultado não pareceu ser muito bom.

Enquanto isso, o ex-Chief tenta se enturmar com os médicos, o que claramente não acontece (Bailey apareceu uns 5 segundos na história, mas valeu pelo momento estranho e por sua fala). Meredith teve sua super cirurgia roubada por Derek, mas no lugar de ficar brava, Cindy Lou cantou (qualquer um que cita Dr. Seuss e os quem ganha minha simpatia. E o que era aquele cabelo da Meredith?). Christina quase não apareceu. Seu propósito na trama provavelmente foi ficar confusa quanto a Owen.